Pesquisa

Problemas e sintomas comuns.

Sistema digestivo
Os principais sintomas podem ser: vômito, anorexia (animal pára de comer), diarréia, tenesmo (animal não evacua) e fezes alteradas (alteração de cor, formato presença de sangue, parasitas ou muco). Vômito e regurgitação.
Principais alterações:
- A presença de sangue digerido (mais escuro) ou vivo: As causas podem ser problemas desde a cavidade oral até as alças intestinais; bactérias; ingestão de corpos estranhos; lesões (quebra de ovo dentro do oviduto, por exemplo).
- Diarréia: geralmente causada por fungos, vermes ou bactérias (fazer exame de fezes); antibióticoterapia; alimento rico em fibras (alteração na dieta); intoxicação por metais pesados ou problemas fisiológicos de digestão;
- Tenesmo: fezes ressecadas; fecalomas (tumores); obstrução (parasita, C.E., tumor); Na cavidade oral, podemos ter a presença de parasitas, lesões por fungos (micose destrói todo material córneo do bico), bactérias ou vírus e, por fim, tumores.
- Auto-mutilação: arranque das penas. As causas são variadas: deficiência nutricional (aminoácidos, vitaminas e beta-caroteno), parasitismo na pele e na pena (causam coceira e o animal tenta arrancar a pena para tentar resolver o problema), problema comportamental ou desequilíbrio hormonal;
- Bico: descamação excessiva, devido à deficiência nutricional (cálcio e vitamina A) – são processos crônicos. Crescimento excessivo do bico, por falta de desgaste, também é comum.
- Ectoparasitos: piolho (principalmente em aves de pequeno porte), pulga, percevejo, sarna, piolhinhos de ninho carrapatos (Argas miniatus, encontrados mais em pombos – zoonose). Na sarna, o bico fica deformado, poroso, crescimento excessivo e frágil. A sarna também pode acometer os pés, provocando o aparecimento de escamas (placas) grandes e esbranquiçadas. A ave se coça bastante. O tratamento é sistêmico, associado à limpeza da gaiola.
- Cisto folicular ou foliculite: a pena não consegue sair do folículo e “encrava”. O folículo inflama e incomoda o animal.Também conhecido como “Bola”, pode ocorrer em qualquer parte do corpo. O tratamento é cirúrgico.
- Vírus: podem causar uma deformação e crescimento irregular da pena, acometendo principalmente os filhotes. Os animais que sobrevivem, após 1 ou 2 mudas, voltam ao normal, mas tornam-se portadores. Outro tipo de vírus pode causar lesões em pele ou órgãos. As lesões são secas, lembram verrugas e podem se espalhar por toda a pele. Geralmente as aves contraem estes vírus através de mosquitos. Tratamento local sobre as lesões e também sistêmico.
- Traumatismos: predadores, filhotes que se machucam sozinhos, pais machucam os filhotes, pedras atiradas.
- Queimaduras ou abscessos subcutâneos: aves geralmente desenvolvem um pus caseoso (endurecido).
Extração manual.
Sistema locomotor Tumores (osteossarcomas), deficiência de cálcio, lesões nas patas (devido a poleiros inadequados ou piso de gaiolas muito ásperos). Forma-se um calo, que infecciona e dói. Tratamento local e demorado.

Sistema reprodutor
Nas fêmeas, o mais freqüente, é a retenção de ovo (problemas de postura; casca grossa, porosa ou áspera; falta de cálcio ou hormônio para contração muscular; falta de lubrificação do ovo e problemas anatômicos) e cistos ou infecção ovarianos (aumento do número de folículos ou contaminação dos mesmos por bactérias).

Sistema respiratório
Entre os principais sintomas envolvidos temos: dispnéia, corrimento nasal, inchaço infra-orbital, respiração ofegante, movimento de cauda, ruídos respiratórios e espirros. Bactérias e fungos são os principais agentes causadores de doenças respiratórias.
Não devemos esquecer de vírus e ectoparasitas (a sarna também pode afetar as narinas). Outros parasitas se instalam na traquéia, prejudicando a vocalização das aves. Um quadro clínico bastante comum é chamado de Peito- Seco, onde a ave apresenta alteração respiratória, diminuição do apetite e uma atrofia do músculo peitoral.
Tratamentos suporte, antibióticos e boa ambientação, é o protocolo mais indicado. Doenças respiratórias são altamente transmissíveis, e evoluem em um tempo muito curto, portanto devem ser detectados rapidamente e o tratamento iniciado o mais rápido possível. Portanto, a prevenção é nosso principal objetivo.

1 comentário:

  1. olá meu nome é marcos e gostaria de saber o que faço para curar minha catura das coceiras que ela esta tendo , pois já coloquei inseticida e até agora nada , teria outro metodo para se fazer , obrigado e fica bem

    ResponderEliminar

Mensagens populares

 

blogger templates Caturras e Calopsitas